quarta-feira, 7 de abril de 2010

Olhando toda a situação de fora,

 sempre. Por trás da tela do computador, ela falava com pessoas que nunca havia visto na vida, e lhes aconselhava sobre coisas que nunca havia sentido e talvez nunca fosse sentir. Pode parecer ridículo, mas era melhor assim.
Talvez esse abismo que havia entre a garota esquisita de óculos redondos e qualquer tipo de paixão fizesse algum sentido, afinal. No fundo, ela sentia pena das pessoas com quem falava, por chorarem por coisas tão fúteis e idiotas, ao seu ver; talvez as pessoas sentissem o mesmo sentimento de pena por ela, porém o motivo era que a garota não tinha companhia alguma, em momento algum. Se ela ligava para tal sentimento? Não, porque apesar da solidão, toda noite a luz da tal tela iluminava um sorriso. Tal sorriso também se iluminava nos rostos daqueles com quem ela conversava, porque apesar do mar de frescuras e idiotices, os amigos sempre os apoiavam.
A única conclusão sensata que se pode tirar disso tudo é que, cada ser humano pensa ser melhor que o outro, quando não é digno da própria pena que sente.


Esqueci de avisar antes mas quando eu escrevo, vou colocando tudo que vai passando pela cabeça ,ou seja,  se me interromper, morre pode não fazer sentido (:
E outra coisa, fiz uma cagadinha legal aqui e meus comentários não aparecem na contagem ae \o/ nunca mexam nas configurações com olhos lacrimejando -dik


alguns minutos depois: a cagadinha está desfeita :D mas ainda mantenho meu conselho (y)

3 comentários:

V-CHAN :3 disse...

aaaa maki, UU' uhsauhasu' só você

maki k. disse...

não tenho culpa se tenho alergia a tudo (atéamimmesma)

maki k. disse...

há, apareceu -q