domingo, 2 de maio de 2010

Contava os cruéis segundos

 para que o momento chegasse. Suas mãos estavam inquietas, tentava segurá-las e secá-las ao mesmo tempo, pois suavam feito loucas. o corpo todo formigava, sentia que ia cair a qualquer momento. Só esperava que não fosse no chão, e sim nos braços de um tal alguém. As borboletas estavam incomodando-a insanamente, a ponto de deixa-lá confusa, sem saber o que responder a ele. A boca seca, passava a língua pelos lábios a cada 3 segundos e de nada adiantava. Ansiosa, olhava para ele de relance, para que não lhe passasse pela cabeça agarrá-lo, mais uma vez. Passando por um pequeno corredor, indo em direção ao escuro, seu coração quase explodia. E, de repente, todas as sensações estranhas desapareceram para algum canto, talvez esquecidas por um tempo, restando somente o doce sabor de um beijo.


Sim, meu sábado foi ótimo, obrigada rs