segunda-feira, 26 de julho de 2010

Sono.

Algo importante, sempre lembrado porém quase nunca feito. Estava fugindo dele a todo instante, mesmo que quase a dominasse. Um segundo de cochilo tinha se tornado abitual, um dia sem dormir era muito frequente. Odiava não fazê-lo, mas queria se manter acordada. Tamanha idiotice, não sabe o que a impedia; Só deitava-se quando realmente achava que precisava, raros momentos estes. Porém espera-se muita vagabundagem daqui para frente pois o cansaço finalmente venceu e descansar é o novo objetivo.

--------------------------------------------------------------------------------------

Quase morrendo, férias cansativas e não produtivas. Volta às aulas será o auge da preguiça com certeza rs

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Opções.

Você é o que você quiser ser, não importam as críticas ou opiniões. Tudo que fazemos nos dá inúmeras alternativas, só o que precisamos fazer é escolher uma delas e seguir em frente, defendê-la até o fim ou desistir; Estas também opções. Mesmo que, às vezes, sentir a decepção ou o desgosto seja ruim, possa doer, não prive-se desse direito; talvez obrigação. Defina-se, mostre seu verdadeiro ser, dê a cara a tapa, use termos prontos para tentar justificar o que diz. Se vire, só você pode viver a sua vida.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Algo que todos devem ter percebido.


Poderia ter sido uma foto minha se eu tivesse criatividade o suficiente para pensar nisso antes. É, não tenho o que postar.

domingo, 11 de julho de 2010

Saber a verdade,

distorcê-la e usá-la contra si mesmo é a pior forma de suicídio existente; tirar de si próprio a base de todo seu raciocínio, de toda a verdade em que se acredita é o mesmo que sugar lhe a vida restante e torná-lo mais um acéfalo da humanidade estúpida em que vive. Não se pode apontar um culpado, já que ou todos somos ou ninguém é. Vive nesse meio quem cede, quem aceita não só ser igual como ser ridículamente rotulado. Pois saiba que rótulo é limite e limita-se o tolo; aquele que acha que de si sabe tudo quando nem ao menos sabe tomar suas próprias decisões.


---------------------------------------------------------------------------------------------


Espero que dê pra entender o que quis dizer. Um pouco confuso, nem ao menos eu entendi o que quis dizer ao certo. Mas enfim, tomara que alguém aproveite algo disso.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Sentia o delírio subir a cabeça,

juntamente com a vermelhidão talvez engraçada que tomava seu corpo. Estava lá, sozinha esperando o tempo passar. Aguardava algo, sem saber o que era; Queria realmente saber o que era. A incessante dor de cabeça estava firme e forte, agora mais acentuada graças a pequena quantidade de bebida alcoólica ingerida. O coração acelerava, como das outras vezes, e quem dera fosse por algo realmente extraordinário. Pode-se considerar problemas cardíacos algo extraordinário ? acho que não. Porém, não há certeza sobre tais problemas, somente achava que era o mais provável. Temia, não só naquele exato momento mas antes também, de seu gosto por bebidas ter se transformado em vício pois queria cada vez mais, apesar de não obedecer suas vontades. Esperava que em breve pudesse sentir a brisa no rosto novamente, sem se lembrar dos problemas, que agora pareciam ser poucos. Aliás, não só esperava sentir como queria que a brisa levasse tudo, o bom e o ruim, indefinidos até então. Desejava sumir e aparecer em algum outro lugar, onde não teria compromissos, laços, inibições. Suficientemente vazia, oca.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Meias na Gaveta.

Você se pergunta: "Afinal, o que é essa porra ?". Bom amiguinho, é meu meio de me expressar, colocar pra fora tudo aquilo que se passa pela minha cabeça. Então, eu não fui estuprada nem me matei. Também procuro entender muitos acontecimentos, sim, coisas reais, através de histórias desenvolvidas a partir de informações que tenho. É, eu sou curiosa. As tags existem para facilitar seu entendimento, mostram o conteúdo da coisa toda. Ler a apresentação do blog também seria legal.


Obrigada (:

Egoísmo.

Fazemos aquilo que nos faz bem, nos agrada. Gostamos de estar entre pessoas que temos afinidades ou algo que nos prenda a elas. Preferimos falar sobre assuntos que sabemos muito a respeito. Temos nossos sons preferidos e odiamos quando alguém fala mal deles. Protegemos a quem gostamos porque são uma parte, se não de nós, da nossa vida. Vivemos para nós mesmos, não fazemos nada sem esperar um retorno que nos beneficie. E se isso nos faz bem, e o bem é algo bom, porque ser egoísta é um defeito afinal ? Porque você se preocupa somente com você mesmo e não liga para os outros ? E o qual o real motivo de ter que se preocupar com os outros ? É uma obrigação ? Esta fazendo mal preocupando-se somente consigo se, no final, será somente o que irá restar com a possibilidade de não restar absolutamente nada ? Está delirando ? Eu também.


---------------------------------------------------------------------------------------------


Dedicarei esse ao Caio por ter me ajudado a ter um relapso de idéia que me fez fechar tudo para escrever rs

domingo, 4 de julho de 2010

Vontade súbita

de descobrir como é uma experiência de quase morte. Sem fortes sequelas, porém não ilesa.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Senti-me satisfeita.

Terminei um dia sem frustrações, sem fortes irritações. Sem grandes emoções, mas isso não era muito importante. Aprendi que um furgão pode ser muito mais divertido do que parece, um treino empolgado levanta um pouco o astral. Relembrei que sair com os amigos pra uma pizzaria, ter uma conversa boa e descontraída ajuda a esquecer problemas cotidianos idiotas e que voltar tarde, sentar depois de um banho caprichado pode te derrubar sériamente; a não ser que tenha uma vontade absurda de relatar tais acontecimentos. Às vezes é bom recordar bons sentimentos, boas sensações; principalmente se você estivesse criando idéias ou expectativas sobre coisas supostamente impossíveis ou inadimissíveis. Não que eu acredite nisso.
Resumindo, tirei um pé do buraco. Agora só falta todo o resto.