sexta-feira, 9 de julho de 2010

Sentia o delírio subir a cabeça,

juntamente com a vermelhidão talvez engraçada que tomava seu corpo. Estava lá, sozinha esperando o tempo passar. Aguardava algo, sem saber o que era; Queria realmente saber o que era. A incessante dor de cabeça estava firme e forte, agora mais acentuada graças a pequena quantidade de bebida alcoólica ingerida. O coração acelerava, como das outras vezes, e quem dera fosse por algo realmente extraordinário. Pode-se considerar problemas cardíacos algo extraordinário ? acho que não. Porém, não há certeza sobre tais problemas, somente achava que era o mais provável. Temia, não só naquele exato momento mas antes também, de seu gosto por bebidas ter se transformado em vício pois queria cada vez mais, apesar de não obedecer suas vontades. Esperava que em breve pudesse sentir a brisa no rosto novamente, sem se lembrar dos problemas, que agora pareciam ser poucos. Aliás, não só esperava sentir como queria que a brisa levasse tudo, o bom e o ruim, indefinidos até então. Desejava sumir e aparecer em algum outro lugar, onde não teria compromissos, laços, inibições. Suficientemente vazia, oca.

2 comentários:

V-CHAN :3 disse...

muito boooom \o/

Alan de Faria disse...

experimente algo do tipo verde, e escreva. mas faça isso antes que a depressão pós droga te envolva.