terça-feira, 12 de outubro de 2010

Um poder.

Só ela percebia, só ela sentia. Nem que quisessem os outros veriam. Somente soube que o tinha quando caiu em pensamentos, examinou sua vida, lista de amigos e se viu sem nenhum. Todos estes ex-amigos agora farreavam com sua roda de pseudo-amigos que ela os ajudou a encontrar, sem sequer notar. Foi aí então que percebeu, seu humilde dom: sugar tristeza e solidão. Isso a consumia por dentro, apodrecia cada órgão; tornava-a cada dia mais inútil e desolada, mal vista e desaprovada socialmente. Não entendia por que deveria ser ela o depósito de cada rancor pessoal, não tão pessoal assim. Questionava quando encontraria um ponto de luz, aquele que teria tanta felicidade guardada que a curaria ou, pelo menos, anulasse sua existência.

------------------------------------------------------------------------------------

Gosto de historinhas :3
Era pra ser algo pro dia das crianças, mas já passou da meia noite e ficou um tanto quanto dramático rs
E também não ficou bom; só me veio a ideia, resolvi escrever e acabei modificando ela toda ao longo do meu bater de teclas. Talvez esse o motivo da insatisfação no resultado, hm.
Enfim, ninguém lê isso mesmo, beijostchau:*

Um comentário:

Lória disse...

Eu li bobona e gostei, haha