sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Vício estranho.

Ultimamente, visitando de forma assídua sites de relacionamentos percebi que nunca escrevo nada e não passo de uma abelhuda rs Só vejo o que os outros escrevem e vez ou outra escrevo algo completamente random. E aonde está o vício ? Exatamente em querer saber da vida das pessoas. É algo de pessoas, como diria alguém que conheci por algumas horas, completamente forever sozinhas.

Sou à toa e adio ações importantes.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Introspecção.

Sigo este mesmo caminho, saltando, pingando, pulando.
Vou para o mesmo destino, sentindo, mentindo, voando.
Trago mil pensamentos, reais, incríveis, tormento.
Tenho receitas da vida, contos, bobagens, fuligem.
Encontro viagens mágicas, no céu, nos olhos, no peito.
Sinto um vazio por dentro, rimas, dores, sentido.

Sinal de vida.

Bom, ao que parece ainda não morri. Não que seja um fato importante rs
Como sou desocupada, vou tentar reativar algumas contas por aí (até o twitter, que particularmente não gosto muito). Deveria estar estudando e sei muito bem disso, mas há uma força maior que adora me ver inútil. Sobre o último post secular, devido à extrema preguiça talvez o tal objetivo não venha a se realizar, tanto por esta que vos escreve ser muito burra e absurdamente negativa. Tentarei atualizar, não sempre mas às vezes, e possivelmente muitos posts não serão textos rs

Blog ativo agora, senhorita Vitória Navarro. <3

xoxo. (?)

sábado, 3 de setembro de 2011

Objetivos.

Quero alcançar esse sonho incrivelmente distante, agarrar a oportunidade da melhor maneira e esperar pela vida idealizada que tenho desde um tempo. Mas perder os amigos é ruim e saber que o esforço foi em vão pode ser bem doloroso. Queria saber o motivo de tudo sempre parecer impossível para mim.

domingo, 17 de julho de 2011

Ocupada.

Meu status de sempre, já que penso ou realmente não tenho tempo pra fazer nada. E agora inicio a temporada de um ano e meio de três turnos compromissados. Não é uma chatisse ? Espero não enlouquecer e conseguir manter tudo lotado assim, desse jeito.

-------------------------------------------------------------------------

Tabom, estava demorando pra postar então que tal esse post aleatório hein ?
Odeio ser não-criativa.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

É incrível como

a opinião das pessoas pesam tanto nas nossas decisões. As vezes pensamos que não e é nessas horas que estamos sendo manipulados indiretamente.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Alone forever ?

Nunca imaginei que pensaria isso um dia mas preciso daquelas pessoas chatas e ridículas, drogadas e brisadas, completos imbecis pervertidos perto de mim de novo. Preciso sentir sinceridade, verdade e também de gente que saiba do que fala e sinta firmeza no que acredita; não no crer induzido e sim aquele sentimento inegável de seu mais profundo íntimo. Querendo ou não, o meio em que estou vivendo é em grande parte dissimulado e os "grandes" não sabem ver a falta de senso de idiotice dentre os demais.
Ou então tenho mesmo a tal visão deturpada.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

Estressada demais,

tento relaxar e me perco em meio a devaneios; Tropecei na realidade, novamente. Estudar para ser alguém, arrumar a casa para ajudar, arranjar um serviço se quiser alguma coisa, fazer coisas que não quero, ver pessoas que não gosto. Como pode algo consideravelmente positivo me fazer tão mal ? De uma proposta razoável a uma dor de cabeça incessante; Meu destino tão certo esta deturpado, não tenho mais convicção. É triste ver como minha inspiração depressiva voltou, queria não ter sobre o que escrever por não saber descrever positividade. Cogitei, temporariamente, que essa magnitude na desgraça fosse minha sina, que sorrisos vindos de mim seriam apenas máscaras da verdadeira face da minha alma, esta que até hoje desconheço. Não questiono pois não sou a dependente, sou o meio. Não posso arruinar uma vida que não é minha, apesar de já o ter feito inúmeras vezes por estupidez.

Preciso mudar de personalidade.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Studying.




a lot.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Sorrir.

Dizem muitos que o sorriso é belo. Quando de felicidade sincera, é. Mas ao sentir seu coração apertado, com a menor mágoa que seja, seria certo não sorrir ? Não poderia ser o sorriso a porta da felicidade ? Acho que sim.
Porém hoje, um sorriso esboçado no rosto é somente falsidade e desdém, nada mais. As pessoas se esquecem que a vida gira em torno de alegrias e não tristezas, que um simples esboçar talvez se transforme no mais alto e atraente riso, este o pico da arte de sorrir. Sem saber o que dizer agora, deixo em aberto mais uma de minhas observações provavelmente do ângulo mais tosco e piegas que já enxerguei, e agora só consigo pensar em como sorrir é incrivelmente maravilhoso.

domingo, 17 de abril de 2011

Festas dignas,

choros, putices e apatia. Meu fim de semana agitado agora é assim.






Grande coisa.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Selo.



Ganhei um selo, mas acho que não serei solidária e não indicarei rs
Sou bem preguiçosa mesmo :/  A propósito, este veio daqui .

domingo, 13 de março de 2011

Inconclusivo

Como não enxergo consequências tão explícitas ? Esse pensamento me perturba, noite e dia, nunca descanso. As vezes, ao parecer dos olhos, esse pensamento some e alguns pensam não existir para mim. Errados, todos. Inclusive eu, todo o tempo.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Coração.

Lembra amor, no exato momento. Mas penso que seria melhor se vivêssemos absortos no nada, que não sentissemos perdas ou necessidade de alguém. Não falo só do amor que pensamos, mas de todo tipo. Porque se não há amor, não há ódio, não há conflitos, nem guerras mundiais ou pelo leite do supermercado. Sem amor, nenhum sentimento existiria, acho. Mas não falávamos do órgão que bombeia sangue ?

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Ditado chinês ?

Seja importante para aqueles que igualmente te importam. 

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Eu perdi,

meus sentimentos foram jogados ao vento. Não, eu os joguei a dias atrás. O problema é que agora eu sinto falta deles, eu os quero mais que tudo, muito mais do que admitirei. Sei que tenho um orgulho besta, deveria saber controlá-lo ou, ao menos, usá-lo. O medo nos move mas também nos prende.


------------------------------------------------------------


 Nenhum sentido aparente, como sempre. Nem palavras bonitas, dessa vez. Estou decaindo ? talvez. Imagino consequências bem difíceis daqui pra frente mas tentarei manter a cabeça no lugar, prometo. 
Créditos (layout): Vitória Navarro 

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Pequenas crianças

que gritam, porque não se calam ? tentem me ajudar, mantenham minha dor de cabeça longe ou, pelo menos, mais fraca que o usual.
Pequenas crianças que gritam, porque não navegam na internet ? não é mais seguro, só as mantém concentradas o suficiente para não fazerem algazarra.
Pequenas crianças que gritam, porque não ajudam outras crianças ? estas que passam fome e não andam no carro de luxo de seu pai.
Pequenas crianças que gritam, porque não dormem ? faça seus pais descansarem, chega de discórdia em casa.
Pequenas crianças que gritam, só parem de gritar.


----------------------------------------------------------------


Dedicado aos meus 'lindos' vizinhos pequeninos.

Reencontrar

amigos, conhecidos, funcionários. Ver rostos borrados, risos alegres talvez falsos, pessoas que nem lembrávamos.  A rotina recomeça, porém algo me falta dessa vez. É estranho olhar e não achar ou, mais ainda, ver e perceber que não está. Sinto falta, quero de volta.


-------------------------------------------------------


Estou gostando de apenas listar coisas ao invés de escrever textos enormes e confusos. Percebi que meus textos são confusos independente da forma que os escrevo rs
Só pra esclarecer, este trata do retorno às aulas, não somente do primeiro dia.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Superficial.

Não me importo, mesmo me importando. Não ligo, mesmo ligando. Forte e insensível, fraca e desmantelada.
Confuso. Confusa.


------------------------------------------------------

force sua mente e entenderá rs

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Babaquices.

Quero chorar sem motivo, rir também. Quero que me escutem e prestem atenção pra não me responderem bobagem e me deixar brava. Não gosto de solidão, porém não gosto de muitas pessoas. Prefiro quando me façam perguntas superficiais ao invés de pedirem minha autobiografia. Apesar disso, quero poder ser eu mesma, falar merda pra todo mundo ouvir e não ser reprovada pelas minhas atitudes ou taxada de algo que não sou. Não sou muito diferente de você, não tanto quanto pensa. Pode me achar uma imbecil mas, apesar de nossos pensamentos, pode ser que estejamos todos aqui só pra perpetuar uma espécie que nem sabemos o motivo pela qual existe.

----------------------------------------------------------------

Dois posts em um dia e quase na mesma hora, realmente interessante. Não, só tinha textos prontos, desculpe desapontá-los. Esse ainda me descreve, deve ser de uns 7 meses atrás. Está certo que não mudaria drasticamente em pouco tempo, mas nunca se sabe. A última parte é realmente uma incógnita, tanto pelo seu real sentido quanto o motivo pelo qual o deixei. Enfim, babaquices como sempre.
Árvores a cercavam, sentia um arrepio estranho ao passar por elas, especialmente por estar escuro.  Não gostava de pensar no que poderia acontecer se não tivesse a sorte de chegar em casa sem algum arranhão sequer.  Seu corpo sacudia de medo, seus pés já calejados e sofridos graças às sandálias que teimou em colocar. Olhava atentamente com seus olhos já cegos; as ruas realmente estavam ajudando muito com seus buracos e remendos malfeitos. Tropeçando e caindo algumas vezes, chegou em casa. Deitou no sofá e não dormiu. Como ? queria saber.  Aguardava o sono chegar assistindo ao noticiário de madrugada e pensava que os energéticos da última hora poderiam estar fazendo algum efeito. Provável. Caiu novamente em devaneios e percebera quantos eventos já marcara sua presença somente naqueles meses, na sua cidade não tão pequena assim. Lembrou de como conheceu o namorado, o desastrado que conseguiu colocar fogo no seu cabelo, infelizmente curto e com um penteado não agradável após o incidente.

--------------------------------------------------------------------------

Achei esse texto aqui, devo ter escrito a muito tempo. Corrigi alguns erros de gramática e citações aleatórias. Não tem um motivo específico para esta postando agora, só achei engraçado (?) e quis compartilhá-lo.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Os leitores devem achar que

sou alguém sem sentimentos e que não acredito que os outros os tenham. Bom, a verdade é que necessito criar uma capa protetora, uma máscara talvez, de alguém mais forte do que sou. É incrível minha facilidade de me magoar com coisas que, as vezes, não tiveram a mínima intenção de me atingir. Sou bem boba mesmo. Mas isso não significa que o que escrevo é tudo mentira, pelo contrário, meus textos nascem das minhas revoltas, dos toscos devaneios que tenho também.
Como sei que sou assim talvez eu queira mudar algo em mim, certo ? Bom, quase correto. Deveria parar de ser deprimida e esconder certas coisas, mas não é algo que eu realmente queira mudar.


-------------------------------------------------------------------------


Enquanto escrevia, lembrei que muitos me vêem sorrir o tempo todo. Só aqueles que já me viram chorar de verdade sabem o quanto é difícil eu ME perdoar por qualquer coisa. 

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Solidariedade: voluntária ou automática ?

Temporária, é só o que sei. Pessoas estão sofrendo esses últimos dias e boa parte populacional sente pena ou tenta ajudar de alguma forma. Mas dificilmente alguém pensa que se realmente quer ajudar, por qualquer motivo, deve fazê-lo (ou pode) a sua vida toda, não só em momentos em que parecem precisar, quando pessoas já amarguradas despencam em solidão e perdas. Necessitados precisam de ajuda o tempo todo e poucos vêem, de verdade.
Pelo pouco que entendo e conheço nós, ditos humanos, isso nunca mudará, é um ciclo não sei se vicioso, mas que pode se passar por um.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Sem roteiros.

É difícil planejar o que quer que seja. Sempre um detalhe minúsculo muda todo um dia ou, até mesmo, toda uma vida. Não compreendo se tal instabilidade é algo necessário, mas parece bom, nos dá a liberdade e, talvez, uma pitada de mistério. Pra que isso ocorra naturalmente é preciso entender que viver é um eterno aprendizado, porém se prestarmos atenção em tudo que aprendemos deixamos de viver. Ser intenso talvez seja uma das melhores qualidades que existe e quem a possui dificilmente estaria escrevendo um texto como este agora.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Praiando.

Voltei da cidade/vilarejo mas ainda não estou em casa. Guarujá me espera amanhã e espero que algumas marcas desapareçam (literalmente).
Sem posts criativos e com pessoas me assistindo postar. Esperem enquanto têm paciência ou abandonem o blog menos visto da face da Terra -s