segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Árvores a cercavam, sentia um arrepio estranho ao passar por elas, especialmente por estar escuro.  Não gostava de pensar no que poderia acontecer se não tivesse a sorte de chegar em casa sem algum arranhão sequer.  Seu corpo sacudia de medo, seus pés já calejados e sofridos graças às sandálias que teimou em colocar. Olhava atentamente com seus olhos já cegos; as ruas realmente estavam ajudando muito com seus buracos e remendos malfeitos. Tropeçando e caindo algumas vezes, chegou em casa. Deitou no sofá e não dormiu. Como ? queria saber.  Aguardava o sono chegar assistindo ao noticiário de madrugada e pensava que os energéticos da última hora poderiam estar fazendo algum efeito. Provável. Caiu novamente em devaneios e percebera quantos eventos já marcara sua presença somente naqueles meses, na sua cidade não tão pequena assim. Lembrou de como conheceu o namorado, o desastrado que conseguiu colocar fogo no seu cabelo, infelizmente curto e com um penteado não agradável após o incidente.

--------------------------------------------------------------------------

Achei esse texto aqui, devo ter escrito a muito tempo. Corrigi alguns erros de gramática e citações aleatórias. Não tem um motivo específico para esta postando agora, só achei engraçado (?) e quis compartilhá-lo.

Nenhum comentário: